Publicado por Redação em Carnaval de São Paulo | 01/03/2011 às 19:38:54


Meca das fantasias, Ladeira Porto Geral (SP) consagra clássicos do Carnaval


ANTONIO FARINACI

"Os clássicos do Carnaval ainda são as fantasias mais procuradas aqui", avalia Marjorie Mourão, gerente da loja Millor, localizada na Ladeira Porto Geral, região central de São Paulo. "A mais vendida até agora foi a de cigana, que eu até coloquei na vitrine", conta ela. Entre os homens, o destaque da loja é a fantasia de pirata. Na Brilhos, outra grande loja da região, o panorama é parecido: "Fantasia de pirata e palhaço são as que mais têm saído", diz Eliete Rivellis, gerente da loja.

"As máscaras do Tiririca têm feito muito sucesso, mas máscara é pra quem não quer se fantasiar de verdade", acredita Cláudia Zani, da Festas e Fantasias, também localizada na Ladeira Porto Geral. "A pessoa usa qualquer roupa e põe a máscara só pra fazer uma graça. Fantasias mesmo são de pirata, de mosqueteiro, de diabinha, que são muito pedidas", diz Cláudia.


Rodrigo Paiva / UOL

Fantasias sensuais, como a tal "diabinha", são mesmo um hit, segundo uma das vendedoras da loja. Branca de Neve, por exemplo, pode ser encontrada na versão "normal", que já faria Walt Disney corar, e em "versão sexy". "A saia é bem mais curtinha e o top também", ela explica.

As crianças formam um público à parte e têm seus próprios clássicos para o Carnaval. Entre meninos, as demandas geralmente têm a ver com heróis de filmes e desenhos animados, com Homem Aranha e Buzz Lightyear entre os mais pedidos. "Meninas gostam de fantasias com tule e saias bem volumosas, por isso as mais vendidas são as de princesa e bailarinas, que juntam as duas coisas", conta uma vendedora da Festas e Fantasias, que tem um departamento dedicado exclusivamente às crianças.

Mas não são só as meninas que gostam de saias de tule. "Semana passada vieram cinco rapazes aqui que queriam uma fantasia de 'Cisne Negro'", conta uma vendedora da loja, "acho que é por causa do sucesso do filme". A fantasia não existia pronta, mas foi montada. Meia-calça, collant, saia de bailarina preta e tiara com plumas para a cabeça. "Temos numeração pra todo mundo", avisa.

Em apenas um quarteirão, entre as ruas Boa Vista e 25 de Março, a Ladeira Porto Geral é endereço de sete grandes lojas de fantasias e enfeites para festas que atraem compradores de todo o Brasil. As lojas todas pertencem às famílias Feghali e Sfeir, de imigrantes libaneses.

Com duas lojas Brilhos na rua, Elias Feghali é o pioneiro da Ladeira, no endereço desde 1968. Seu irmão, Millor Feghali, e o sobrinho dos dois, Pierre Sfeir, juntaram-se a ele nos anos seguintes. "No começo éramos todos sócios", conta Pierre, "depois, resolvemos nos separar para evitar as brigas". Sua loja, a Festas e Fantasias, ocupa três endereços na rua, um deles inaugurado recentemente.

E para quem se pergunta se a dissolução da sociedade restaurou as relações familiares, ele explica. "Hoje ninguém se fala, e um vive 'quebrando' os preços do outro", brinca. "Quebrar o preço", no jargão do comércio, significa fazer uma oferta mais baixa para ganhar o freguês. Por isso, fica a dica: vale pechinchar.


Tags: carnaval, fantasias


Deixe seu Comentário:

=