Elza Soares vira enredo de escola de samba: ‘Quem sabe não uso tapa-sexo?’

Publicado em Carnaval do Rio, por Tinho em 23/06/2011


Mesmo recuperando-se de uma cirurgia na coluna , na região cervical - ainda fruto de complicações de um tombo que levou em 1999 -, Elza Soares está animadíssima com o convite para ser enredo do carnaval da Unidos do Cabuçu em 2012. A agremiação, do Grupo C do carnaval do Rio de Janeiro, vai contar a história da cantora com o enredo "A Cabuçu dá a Elza na avenida".

"Fiquei muito feliz e espero que possa corresponder e ajudar a escola. Aliás, já estou ajudando. Eu que sugeri o nome do enredo: ‘Deu a Elza na avenida’. Não é sensacional? E vai dar a Elza na Cabuçu", diz brincando com o próprio nome e a gíria que significa levar sem permissão.

A cantora contou que já se reuniu com a direção da escola, mas que ainda falta definir muita coisa para o carnaval. Elza contou que só sugeriu que o bloco carnavalesco que criou em Padre Miguel, o "Deu a Elza", venha ou na frente da escola ou encerrando o desfile.

Ou lata d'água ou black power
"Já pensou aquele povo todo carregando uma lata d’água na cabeça ou então com uma peruca black power?", sugere.

Sobre sua participação, a cantora diz que o local em que vai vir no desfile estará condicionado à sua recuperação. "Se eu estiver legal, quero vir no chão. Quem sabe até de tapa-sexo? Estou brincando! Só espero corresponder para dar a Elza na cabeça e no carnaval", diz.

Elza Soares diz que não fez ressalvas sobre passagens de sua vida que talvez não quisesse ver mostradas no enredo, e contou que está se recuperando bem da cirurgia.

História rica
"Minha vida é tão rica, está tudo ali. É só arrematar. É claro que tem coisas duras de se lembrar, mas passei por tudo isso, não é mesmo? Agora é só esperar o carnaval. Já estou até caminhando. Não gosto de ficar deitada, nem sentada, não. Senão a bunda fica achatada", diz rindo.

Elza Soares foi descoberta em um programa de shows de calouros no final da década de 50. Morou na favela, passou fome, casou-se aos 12 anos, aos 18 já estava viúva, viu a morte dos dois filhos, teve um tórrido romance com Garrincha, foi a primeira mulher a puxar um samba-enredo na avenida e considerada a melhor cantora do milênio.


Fonte: http://ego.globo.com/


Tags:  elza-soares, unidos-do-cabucu, rio-de-janeiro


Posts Relacionados


Deixe seu comentário:

=